Programa Boi na Linha capacita empresas a aprimorar atuação pela sustentabilidade da pecuária na Amazônia

O programa Boi na Linha, parceria entre o Ministério Público Federal (MPF) e a associação Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), está promovendo uma série de oficinas para capacitar empresas a aprimorar a atuação em defesa de uma cadeia econômica da pecuária na Amazônia que respeite a legislação socioambiental.

As oficinas são voltadas a dois públicos-alvo. Para representantes de frigoríficos, a capacitação é relativa ao Protocolo de Auditoria dos Compromissos da Pecuária na Amazônia. Para varejistas, o tema é o Guia de Elaboração da Política de Compras da Carne Bovina do Varejo.

Treinamentos já foram realizados este mês em Rio Branco (AC), Manaus (AM) e Marabá (PA). Nesta sexta-feira (29) haverá uma edição em Santarém (PA). Em novembro será a vez de Belém (PA), nos dias 9 e 10, e de São Paulo, no dia 18. As datas de realização em Cuiabá (MT) e Porto Velho (RO) serão anunciadas assim que confirmadas.

As empresas interessadas em enviar representantes para serem capacitados nesses treinamentos devem fazer inscrições pelos formulários disponíveis na seção agenda da área de notícias do site do programa Boi na Linha.

A realização das oficinas tem o apoio do Instituto Clima e Sociedade (ICS).

Saiba mais – Estabelecida em Termos de Ajuste de Conduta (TACs) propostos pelo MPF a partir de 2009 e em compromissos que algumas empresas desde então assumiram perante a sociedade, a atuação em favor da sustentabilidade da pecuária destaca a necessidade do controle da origem da matéria-prima.

O cumprimento da legislação evita que sejam comercializados itens com matéria-prima proveniente, por exemplo, de áreas com desmatamento ilegal, grilagem, trabalho escravo, invasões a unidades de conservação e a terras indígenas e quilombolas, ou sem regularização ambiental ou fundiária.

Boi na Linha – O Boi na Linha é um programa e plataforma para transparência na cadeia de valor da carne. A iniciativa pode ser conhecida e acompanhada pelo site www.boinalinha.org.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Muito obrigado por sua audiência e caso tenha algum comentário sobre a experiência no site, fale conosco nas nossas redes sociais.

Assine grátis nossas notícias

Rolar para o topo