O crescimento das startups e o futuro desse mercado – Jânyo Diniz – Presidente do grupo Ser Educacional

Jânyo Diniz – Presidente do grupo Ser Educacional

Em 2021, houve um recorde em relação ao número de startups brasileiras que foram avaliadas em mais de US$ 1 bilhão. Foram onze empresas recebendo o status de unicórnio contra apenas três em 2020. Isso mostra como e a velocidade que o setor de tecnologia vem crescendo no país no decorrer dos anos, englobando as áreas de educação, saúde, finanças, softwares, logística, varejo, entre outras.

Segundo a pesquisa da plataforma de inovação Distrito, realizada em 2021, as startups de educação cresceram 28% durante a pandemia da Covid-19 e arrecadaram US$ 525,6 milhões em aportes, já que encontraram o ensino on-line como uma maneira de permanecerem funcionando enquanto alguns setores ficaram parados. Outro exemplo são as fintechs, que surgiram por causa das mudanças no mercado financeiro. Essas startups são voltadas especificamente para a área financeira e estão ganhando espaço por serem uma alternativa aos bancos físicos e tradicionais.

Após o boom de transformação digital trazido pela pandemia da covid-19, o mercado de startups brasileiro se consolidou. A expectativa é que, em 2022, mais empresas brasileiras de tecnologia conquistem o status de unicórnio. Alguns fatores que podem ajudar é a chegada do 5G e a visibilidade que o Metaverso está recebendo. Esse último conceito é utilizado para indicar um ambiente virtual que pretende simular a realidade a partir de dispositivos digitais, como óculos de realidade aumentada e luvas hápticas.

Considerado o futuro da humanidade e da internet, grandes empresas, como Facebook, Microsoft e Epic Games, já estão se inserindo nesse universo. Portanto, é provável que surjam startups querendo desenvolver projetos nesse setor e o número de avaliadas em mais de US$ 1 bilhão cresça. Entretanto, apesar do alto volume de investimentos, as startups terão de lidar com problemas de gigantes: a instabilidade política e econômica no dia a dia de suas operações. Além disso, outros detalhes precisam ser observados – à medida que as startups se tornam maiores, novas cobranças batem à porta, o nível de investimento aumenta para manter o crescimento e começa a ser necessário ganhar dinheiro para os investidores e não apenas continuar vivendo do dinheiro deles.

É inegável que as startups têm um papel muito importante no mercado global, pois sempre buscam criar soluções inovadoras para os diversos problemas encontrados em diversas áreas. Além disso, também são responsáveis por gerar mais empregos, inovar em processos, modelos de negócios e tecnologia nos seus projetos, tudo isso desafiando grandes empresas e modelos de negócios já existentes. Entretanto, em 2022, as startups terão de provar que podem atender grandes mercados sem perder aquilo que justificou a sua criação, como baixo custo,  atenção ao atendimento ao cliente, e acima de tudo gerar resultado positivo.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Muito obrigado por sua audiência e caso tenha algum comentário sobre a experiência no site, fale conosco nas nossas redes sociais.

Assine grátis nossas notícias

Rolar para o topo